MENU

"Agora é tempo para erguer nossa nação das areias movediças da injustiça racial e da discriminação para a pedra sólida da fraternidade." (Rev. Martin Luther King Jr.)

Sejam bem-vindos ao NEGOSPEL!

O que vem a ser o NEGOSPEL? - NEGOSPEL é um MOVIMENTO NEGRO EVANGÉLICO virtual e, ou, presencial cuja missão é de conscientizar os afrodescendentes e interessados no assunto quanto à sua historicidade, identidade, autovalorização e espaço tanto do ponto de vista histórico-teológico como étnico-sócio-racial lutando, assim, pela reparação nas áreas supra-citadas dentro de um recorte racial justo e verdadeiro ante às inúmeras injustiças resultantes na atual estratificação social. Portanto, continue conosco interagindo e divulgando nosso trabalho e muito obrigado pela sua visita!

Afroabraços,

Henrique Coutinho.



segunda-feira, 3 de agosto de 2009

QUERO DEIXAR MINHA MARCA OU CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO?

Texto: "Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus" (Gál.6:17).

Conversando com um irmão, pastor e amigo sobre sonhos e projetos ministeriais, surpreendí-me com uma afirmação que, por duas vezes, fez questão de pontuar. Dizia ele: - "O meu sonho é deixar a minha marca através da realização dos meus projetos ministeriais". Ao que lhe respondí que não devemos estar preocupados em passar nesse mundo para "deixar a nossa marca", mas para trazer e manifestar em nosso corpo, em nossa vida, AS MARCAS DO SENHOR JESUS CRISTO!!!
Infelizmente, a grande tendência de líderes evangélicos, nos últimos dias, é da busca desenfreada por "deixar a sua marca" nesse mundo. E, isso, "deixar a sua marca", pode ser representado por ter seus nomes em evidência ante ao público e mundo evangélicos e, por eles, serem holofoteados e ovacionados ganhando, assim, toda a notoriedade. Pode, também, significar o desejo de construir um "monumento histórico", ou seja: um grande e suntuoso templo, uma linda catedral, uma rede ministerial mundial cujo patrimônio se tornará, assombrosamente, gigantesco, entre outras coisas.
Quando olhamos pra vida do Apóstolo Paulo (homem sujeito às mesmas fraquezas que nós), percebemos total despretenção no que tange ao desejo de se autopromover. Paulo não tinha nenhuma vocação para "marqueteiro da fé" nem, muito menos, para mercadejar a Palavra de Deus. Paulo não estava preocupado em ganhar notoriedade ante a sociedade de então; em eregir um grande monumento que fosse capaz de projetar o seu nome historicamente; em construir templos e catedrais impressionistas, até porque o máximo que sabia construir era tendas; não tinha nenhum interesse em "montar um mega- ministério" que podesse projetar o seu nome internacionalmente. Enfim, não pretendia divulgar nem vender nenhuma "marca denominacional" que tivesse como propósito promover a sua imagem para a posteridade. Pois, a única marca que se orgulhava de trazer, em seu próprio corpo, eram as marcas resultantes do sofrimento pelo Evangelho do Senhor Jesus Cristo!

"Quero deixar minha marca" é o mesmo que dizer: quero estar em evidência!
"Quero deixar minha marca" é o mesmo que dizer: quero ser o bam-bam-bam do pedaço!
"Quero deixar minha marca" é o mesmo que dizer: quero me auto-afirmar!
"Quero deixar minha marca" é o mesmo que dizer: quero massagear meu ego!
"Quero deixar minha marca" é o mesmo que dizer: quero ficar na história!
"Quero deixar minha marca" é o mesmo que dizer: quero um lugar de honra!
"Quero deixar minha marca" é o mesmo que dizer: QUERO O LUGAR DE CRISTO!

Ao passo que, por outro lado, dizer e viver o que Paulo afirmou por já ter vivido e por, ainda, estar vivendo, em seu próprio corpo, as consequências de uma vida totalmente entregue ao Evangelho de Cristo é demonstrar, na prática, que quem teve, de fato, a revelação do que seja caminhar na Graça de Cristo, jamais irá nutrir em seu coração a vaidade de "deixar a sua marca". Antes nutrirá o desejo de CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO em toda a sua existência aqui na terra dos viventes. E o que significaria essa máxima chocante do Apóstolo Paulo? Vejamos:

CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO é o mesmo que assumir o compromisso de viver a vida de Cristo com toda intensidade e, sobretudo, com toda autenticidade.

CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO é o mesmo que permitir que Cristo viva a sua vida através de nossa existência entendendo que, em Cristo, com Cristo e para Cristo não há espaço para uma co-existência paralela à SUA VIDA em nós nem por meio de nós.

CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO é o mesmo que estar disposto a não negociar a nossa aliança com ELE firmada diante das ofertas tentadoras que nos forem apresentadas.

CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO é o mesmo que se despojar de toda e qualquer marca ritualística, dogmática e religiosa que, para nada mais serve, senão para nos promover diante dos homens e NOS HUMILHAR DIANTE DE DEUS!

CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO é estar disposto a ser perseguido por causa da CRUZ DE CRISTO que é traduzida como o seu sacrifício vicário na cruz do Calvário.

CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO é estar disposto a cometer um "duplo homicídio espiritual" morrendo para o mundo e fazendo com que o mundo morra para si.

CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO é estar disposto a carregar a carga do outro como se fora a nossa própria carga e tratar a dor do pecado do outro como como se fora a nossa.

Diante de tal desafio, o que iremos escolher?
QUERO DEIXAR MINHA MARCA OU CARREGAR AS MARCAS DE CRISTO?

 Henrique Coutinho.
  (Servo da Graça)

3 comentários:

Leo disse...

Olá Henrique, Paz. Paz mesmo. Eu nunca disse que queria deixar a "minha marca" porque tenho aprendido que devo apresentar a Deus o meu corpo em sacrifício a Deus e devo permitir que Cristo cresça cada vez mais em minha vida, afinal de contas por ser apenas um ramo simples (até mais simples que você), devo estar sempre ligado na videira para receber os nutrientes necessários para manter vivo todos os sonhos de Deus em minha vida. Diferentes de outros que embora se digam "ligados na videira" estão cada vez mais murchando-se, ou seja desprezando tudo o que Deus conquistou para eles ao longo de sua existência. Permitindo ao inimigo roubar-lhes o direito de ser servo ministerial atuante, sacerdote em seu próprio lar, conselheiro e amigos dos quie lhe são necessitados e por aí vai. Será que desta forma essas pessoas estão carregando as marcas de Cristo em suas vidas? Talvez por minha ignorancia eu não tenha me expressado corretamente, mas o que quis dizer é que quero deixar um bom testemunho de vida cristã para as gerações vindouras. Se isso não for correto, prefiro continuar errando, porém vivendo e conquistando em Cristo semeando paz, amor e harmonia. Que o Senhor continue te abençoando. Fique na paz. Leo Rodriguez (tvrhema@gmail.com)

Leo disse...

Existe uma TV que você precisa conhecer! Nela você só assiste a verdade.
TV Gospel RHEMA
"ver a verdade prá viver em santidade!
www.worldtv.com/tvgospelrhema
Acesse já!

Pr. Henrique Coutinho disse...

Querido Leonivaldo, tudo o que não queria era lhe expôr, por essa razão é que PRESERVEI A SUA IDENTIDADE. Até porque nas duas oportunidades que tivemos de conversar face a face sobre a questão ("deixar sua marca") você se eximiu de aprofundar a questão preferindo, assim, mudar de assunto. Por isso, lhe digo que não escrevi nada que não tenha lhe dado a oportunidade de tréplica (já que a réplica foi minha) em uma conversa pessoal, madura e amigável como APARENTAVA SER.
Quanto aos seus conceitos, pré-conceitos e pré-julgamentos a respeito da minha vida que você pensa conhecer, mas não conhece, deixo com a sua consciência travestida de juiz tocado que legisla em causa própria e projeta tudo o que a sua prória conduta e caráter carregam ao longo de sua história, mas, não tendo coragem de assumí-las, prefere se utilizar de um oportunismo mesquinho e covarde a fim de expressar VIA INTERNET o que sempre teve a chance de dizer pessoalmente!
Nunca tive medo de encarar a verdade de frente; nunca tive medo de expressar o que penso; nunca tive medo de me assumir como sou, ASSIM, com minhas qualidades e defeitos, de COLOCAR A MINHA CARA NA TELA (dar a minha cara a tapa), de me assumir assumindo todos os meus atos SEM MÁSCARAS NEM MAQUIAGENS. De modo que quando falo, FALO OLHANDO BEM FUNDO NOS OLHOS DO MEU INTERLOCUTOR e não uso a "terceira pessoa do plural" para falar nem, tentar atingir aquele que sempre teve a ombridade de me permitir o direito PESSOAL de resposta. Que, é bom que se diga, foi exatamente o que você fez em seu comentário no qual, além de ter sido infeliz em tornar pública a sua identidade emitiu impropérios a meu respeito, ainda que se utilizando de indiretas, coisa que é própria do seu caráter.
Não acredito em nenhuma pessoa que se auto-propague "humilde" ("até mais simples que você" - LEMBRA-ME A PARÁBOLA DO FARISEU E DO PUBLICANO) nem se diga ignorante quando, ao mesmo tempo, consegue ser "rápido no gatilho" quando se trata de se AUTO-AFIRMAR E SE DEFENDER (direito este que sempre lhe foi concedido) de algo que , de alguma forma, confronte e incomode o seu orgulho ferido.
Quanto à confrontação mais detalhada e pessoal, PREFIRO FAZÊ-LA FACE A FACE, OLHANDO EM SEUS OLHOS COMO SEMPRE FOI DO MEU FEITIO.
Sem falsas saudações,
Henrique Coutinho.