MENU

"Agora é tempo para erguer nossa nação das areias movediças da injustiça racial e da discriminação para a pedra sólida da fraternidade." (Rev. Martin Luther King Jr.)

Sejam bem-vindos ao NEGOSPEL!

O que vem a ser o NEGOSPEL? - NEGOSPEL é um MOVIMENTO NEGRO EVANGÉLICO virtual e, ou, presencial cuja missão é de conscientizar os afrodescendentes e interessados no assunto quanto à sua historicidade, identidade, autovalorização e espaço tanto do ponto de vista histórico-teológico como étnico-sócio-racial lutando, assim, pela reparação nas áreas supra-citadas dentro de um recorte racial justo e verdadeiro ante às inúmeras injustiças resultantes na atual estratificação social. Portanto, continue conosco interagindo e divulgando nosso trabalho e muito obrigado pela sua visita!

Afroabraços,

Henrique Coutinho.



segunda-feira, 11 de maio de 2009

"Emaús: Em Busca de Aconchego".

O texto tomado por base (Luc. 24:13-53) narra sobre a caminhada de dois discípulos de Jesus "saindo de Jerusalém rumo a Emaús". Jerusalém significa 'Cidade da Paz' (Yêru-shalaim) enquanto que Emaús significa 'Fontes de Águas Termais' (ou, 'Banho Quente'). A distância entre uma e outra é pouco mais de onze quilômetros.
Por que sair da 'Cidade da Paz' e se refugiar em 'Fontes de Águas Termais'? É bem verdade que os dois discípulos estavam desalentados e, por certo, sentindo falta do aconchego do Mestre. Mas, o que esperariam encontrar em Emaús uma vez que os onze apóstolos se encontravam enclausurados e amendrontados no cenáculo? Não se sabe ao certo. Mas uma coisa é certa, tanto Cleopas (Gr.: Kleopathros: Kléos= glória; Pathros= pai. "Glória do pai") como o seu companheiro estavam perturbados, desesperançosos e, até mesmo, incrédulos quanto aos últimos acontecimentos pós-morte do Senhor Jesus. Enfim, ao que parece estavam indo a Emaús "em busca de aconchego", de alguma forma, pra suas almas, uma vez que perdera o aconchego do seu Senhor.
Águas quentes, banho quente, é uma espécie de paliativo pra quem não tem mais uma "costelinha" (A Fonte das Águas Vivas) pra se aquecer. Estavam deixando a 'Cidade da Paz' de onde acabara de "perder" o seu Maior Aconchego a fim de aquecer a sua alma na paliativa cidade de Emaús. Almas friorentas estão sempre buscando uma forma de agasalhar suas carências espirituais e emocionais com recursos outros que nada mais são do que subsídios temporários (Jer. 2:13).
O texto narra, também, que, no percurso da caminhada, Cleopas e seu companheiro foram surpreendidos com o questionamento de um suposto peregrino que desejara saber "que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós, e por que estais tristes?"(v.17). Ora, Cleopas e o seu companheiro vinham desenvolvendo uma dialética sobre os episódios da morte por crucificação promovida pelos principais líderes da religião judaica e pelos romanos, bem como sobre os últimos relatos de algumas mulheres e apóstolos que, tendo encontrado o túmulo vazio, diziam ter visto anjos e o próprio Cristo Ressureto! Embora tudo isso lhes parecesse muito confuso, posto que eles não "viram pra crerem" no que os demais viram. De modo que, tendo-lhes relatado essas coisas, o peregrino lhes repreendera dizendo: "Ó nescios e tardos de coração para crerdes tudo que os profetas disseram!"(v.25). "Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse em sua glória?"(v.26). Ao que começara a lhes explicar as Escrituras desde Moisés e todos os profetas que vaticinaram a respeito da morte vicária do Messias. Depois de discorrer sobre as Escrituras, o "tal peregrino" surpreendera, mais uma vez, os dois discípulos fazendo menção de ir embora em outra direção, levando-lhes, assim, a lhe lançar o cordial convite: "Fica conosco, porque é tarde, e o dia já declina. E entrou para ficar com eles"(v.29). Ao passo que tendo eles ido ceiar, Cleopas e seu companheiro tiveram seus olhos abertos reconhecendo que o aparente peregrino era o Mestre o qual desaparecera, literalmente, diante de seus olhos!(vs. 30 e 31). "E disseram um para o outro: Porventura não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?"(v.32).

Não tem sido diferente em nossos dias!
Quantos de nós carregamos em nossas almas um certo sentimento de desabrigo e desconforto!? Uma sensação de "orfandade espiritual" caminhando "em busca de aconchego"!?
Tal qual Cleopas cujo nome significa "glória do pai" mas não conseguiu ver 'a Glória de Deus na face de Jesus Cristo' (II Cor. 4:6) enquanto caminhava rumo a Emaús, assim acontece, muitas vezes, conosco. Buscamos refúgio e aconchego em tantos lugares, de tantos formas e em tantas pessoas, porém, sem nenhum sucesso, sem nenhum resultado, apesar do Senhor estar mais perto de nós do que imaginamos (Atos 17:27)! É como já dizia o salmista Davi: "Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia" (Salmo 46:1). Portanto, quando na caminhada rumo as "Emaús da vida" tenhamos em mente a consciência de que o Senhor Jesus está bem pertinho de nós, ainda que não o reconheçamos nem discirnamos a sua voz; tenhamos a mais absoluta certeza de que sempre se revelará por intermédio da Sua Palavra a qual produzirá uma espécie de 'ardor' em nosso coração, ou seja, em momentos de abandono o Senhor sempre providenciará aquecer o nosso coração com seu Aconchegante Amor Paternal. O Senhor sempre se revelará pra nós quando nosso coração estiver, com avidez, "Em Busca de Aconchego"!

Pr. Henrique Coutinho.

2 comentários:

Marcelo e Eunice disse...

olá Pastor

obrigado por inserir nosso banner

abração

Marcelo eee Eunice
Caminhando na Graça, de graça!!!

Danilo Fernandes disse...

Otimo texto irmão! Obrigado pelo banner! Vou segui-lo agora!